Buscar
  • fernandorusso9

Como construir um ambiente de trabalho seguro pós-pandemia

Estamos em um momento de incertezas. Tudo está começando a voltar ao “normal”, após o cenário de pandemia, e ainda é difícil definir quais medidas de segurança deverão ser integradas à rotina corporativa, para a construção de um ambiente seguro.


O fato é que , dificilmente, será possível sair dessa pandemia sem aprender algo novo. Prova disso é que já é possível identificar potenciais tendências e ações de segurança que, provavelmente, serão implementadas no futuro das empresas, essenciais para manter a competitividade .


Neste artigo, você verá algumas dessas tendências para o retorno, e como é fundamental ter alguns cuidados específicos com os seus funcionários, para proporcionar um ambiente de trabalho seguro no cenário atual. Continue a leitura e saiba mais!



Quais as tendências para essa volta segura?


As autoridades começaram a remover as restrições e incentivar o relaxamento das divisões sociais para retomar o comércio e serviços considerados insignificantes.


Agora, resta saber se você, empresário, está pronto para voltar ao trabalho. Você já sabe quais cuidados e políticas são necessários para manter a segurança na área? Se você ainda não sabe, não se preocupe.


Veja abaixo 4 dicas para proporcionar um ambiente de trabalho seguro para todos:


1- O distanciamento deve ser mantido;


O retorno ao trabalho não pode ser feito completamente imediatamente. A recomendação é que os grupos retornem aos poucos para evitar possíveis encontros.


Uma das diferentes maneiras de ajudar a manter a distância entre as pessoas no local de trabalho é aumentar o espaço entre os locais de trabalho, por exemplo, alterando o layout e o design das áreas com um alcance considerado seguro.


2- Uso de máscara;


O uso de máscara é uma das medidas mais eficazes atualmente para evitar o surgimento de novos casos. Dentro de casa, o uso é obrigatório agora.


Nas empresas, a Organização Mundial da Saúde enfatizou a necessidade de os trabalhadores obterem máscaras ou lenços faciais, além de recipientes lacrados para descarte seguro de itens usados.


3- Higiene mais rigorosa;

Embora o vírus se espalhe facilmente entre humanos, os Centros de Controle e Prevenção de Doenças (CDC) dos EUA também indicaram que é mais provável que seja infectado em diferentes partes do mundo.


Seguindo as recomendações do CDC, a empresa precisa manter a limpeza regular de itens comuns como maçanetas, mesas, interruptores de luz, telefones, etc.


Além disso, os métodos de higiene e desinfecção também são importantes em áreas com alto fluxo ao mesmo tempo, como restaurantes e cafés.


Em casos como esses, é importante promover turnos separados para que os funcionários possam acessar a área com segurança e disponibilizar regularmente recipientes para higienização das mãos, como geleia de álcool.


4- Avaliação de riscos;

Considere a categoria de doença em sua cidade ou província para avaliar o risco de reemprego.


Outro ponto a ser considerado é a conscientização dos colaboradores que se enquadram em grupos vulneráveis. Uma das melhores maneiras de mantê-los seguros é mantê-los longe do trabalho até que estejam 100% seguros.


Para ajudar a determinar a retomada do trabalho no local de trabalho, a OMS divulgou uma lista de coisas a serem consideradas. Veja alguns deles abaixo:


  • efetividade no controle da transmissão local do vírus;

  • um sistema nacional de saúde capaz de diagnosticar, tratar cada caso e rastrear a infecção;

  • adoção de medidas preventivas.


Para saber mais como orientar melhor os colaboradores em relação à saúde, conheça a GRS+Núcleo, empresa especialista em gestão e saúde ocupacional.


Os especialistas da GRS+Núcleo estão prontos para oferecer suporte, informação e orientações para empresas sobre saúde e bem-estar dos colaboradores.

3 visualizações0 comentário