Buscar
  • fernandorusso9

Saúde ocupacional X Saúde assistencial

Você sabe a diferença entre saúde ocupacional e saúde assistencial? Cuidar da saúde e bem-estar dos colaboradores ainda é um grande desafio para diversas empresas. A integração dessas duas áreas pode ser a peça que faltava para que sua instituição gere mais resultados efetivos.


De acordo com a Organização Mundial de Saúde (OMS), a maior causa de doenças é o trabalho. Os casos de tendinite, ansiedade, síndrome de burnout, entre outros, aumentam mais a cada ano, e todos esses diagnósticos têm o ambiente de trabalho como fator comum.


A saúde ocupacional e assistencial são duas coisas extremamente importantes para a empresa e para o bem-estar dos colaboradores. Ambas são obrigatórias por lei, e elas são essenciais para um programa de saúde efetivo dentro da organização. Mas qual a diferença entre eles?


A saúde assistencial pode também ser praticada como uma forma de medicina preventiva, e seu principal objetivo é promover saúde em todas as áreas da vida do colaborador, isto é, implementar os cuidados necessários para prevenir doenças físicas e mentais, além de fornecer mais qualidade de vida para as pessoas.


Um ambiente saudável de trabalho, de acordo com a OMS, é aquele em que os colaboradores e gestores trabalham juntos em prol de uma melhoria contínua para proteger todos e promover saúde, segurança, bem-estar e sustentabilidade para todos no ambiente de trabalho.


Com isso, a empresa precisa investir em ações específicas e recursos para reduzir os riscos ocupacionais, a rotatividade, o absenteísmo e trabalhar para manter todos os colaboradores devidamente engajados e motivados.


Dentre as principais estratégias de saúde assistencial, destacam-se:


  • Promover campanhas de informação e prevenção de doenças (outubro rosa, setembro amarelo, etc.);

  • Construir um ambiente de trabalho agradável;

  • Promover comunicação unilateral com os colaboradores e gestores;

  • Incentivar constantemente os colaboradores;

  • Estimular a integração das equipes;

  • Realizar dinâmicas, organizar palestras e workshops para engajar os colaboradores;

  • Incentivar um estilo de vida mais saudável.


Já a saúde ocupacional pode ser definida como um conjunto de regras, procedimentos e ferramentas que buscam reduzir, eliminar e neutralizar os riscos decorrentes de atividades laborais.


É uma prática obrigatória e fiscalizada pelo Ministério do Trabalho, através das Normas Regulamentadoras (NRs). As empresas têm que atender às exigências das NRs por meio de ações que garantam melhores condições de trabalho para os colaboradores e prevenção de riscos e acidentes.


De acordo com a Portaria n.º 06, de 09/03/83, parágrafo 1.1, as Normas Regulamentadoras (NR), relativas à segurança e medicina do trabalho, são de observância obrigatória pelas empresas privadas e públicas e pelos órgãos públicos da administração direta e indireta, bem como pelos órgãos dos Poderes Legislativo e Judiciário, que possuam empregados regidos pela Consolidação das Leis do Trabalho (CLT).


Ou seja, qualquer empresa que realize contratações no modelo CLT precisa atender as Normas Regulamentadoras.


Ao todo, existem 36 Normas Regulamentadoras na legislação brasileira. Dentre os principais requisitos assegurados, destacam-se:


  • Realização de exames ocupacionais;

  • Uso obrigatório de EPIs;

  • Diagnóstico ambiental;

  • Promoção de capacitação.


As principais são:


AET: Análise Ergonômica do Trabalho;

PCMSO: Programa de Controle Médico de Saúde Ocupacional;

PPRA: Programa de Prevenção de Riscos Ambientais.


Para uma empresa ter sucesso e manter os colaboradores bem, é necessário seguir as regras de saúde assistencial e ocupacional.


Se você tem alguma dúvida, entre em contato conosco.


6 visualizações0 comentário